Filas de dois quilómetros para ver o Benfica nos Açores

epa07226971 Benfica's supporters react before their UEFA Champions League group E soccer match against AEK Athens at Luz Stadium, in Lisbon, Portugal, 12 December 2018. EPA/MARIO CRUZ

A compra de bilhetes para o jogo entre Santa Clara e Benfica gerou confusão na baixa de Ponta Delgada face à enorme procura e a uma fila de cerca de dois quilómetros.


Centenas de pessoas condicionaram de manhã o trânsito na baixa de Ponta Delgada, algumas desde as 7h30, na esperança de assegurarem a compra de um ingresso para um confronto que volta a repetir-se 15 anos depois.


Desde a época 2002/2003 que o Benfica não se deslocava a Ponta Delgada. O encontro joga-se depois de FC Porto e Sporting já terem passado pelos Açores, ambos vencendo o Santa Clara por 2-1.


João Agostinho, proprietário de um restaurante que fica localizado em frente à sede do Clube Desportivo Santa Clara, referiu à agência Lusa que está a gerir o negócio há 50 anos, e nunca viu nada assim: – “Quando se trata do Sporting e Porto há gente, mas não na quantidade que se vê à porta do estabelecimento”.


António Ponte, de 23 anos, há quatro horas na fila, está em São Miguel de férias, e espera que vença o Santa Clara na batalha de sexta-feira, não fosse ele do clube de Alvalade.

Já João Melo, motorista, é um benfiquista confiante que “ainda é possível ser campeão”, apesar de seu amor pelos encarnados de Ponta Delgada. Mas é o “Benfica primeiro, acima de tudo”.


Diana Ferreira, 25 anos, há três horas à espera, tem o coração depositado na vitória do Santa Clara, porque “é o clube dos Açores”, e submeteu-se a uma fila de três para conseguir um ingresso para um amigo, que “está dividido”.


Bruno Ponte, de 31 anos, pintor – que comemorou domingo duplamente a vitória do Benfica e o seu aniversário -, vai “perder o dia de trabalho” para estar na fila e, por mais que goste dos encarnados de Ponta Delgada, deseja que o Benfica ganhe para que seja campeão de novo.

Partilhar